Absenteísmo

PROGRAMA INSAT DE GERENCIAMENTO DE ABSENTEÍSMO - "PIGA"

FASES DO PROGRAMA

FASE I - Implantação

  • Estabelecimento de uma política de atestados, adequada à politica geral da empresa;
  • Apresentação da politica de atestado às chefias, com o respectivo fluxograma, e uma análise geral do absenteísmo (causas / fatores / etc);
  • Divulgação a todos os colaboradores;

 

FASE II - Controle

  • Inicio do controle pelo INSAT;
  • Relatório gerencial mensal com os 3 índices de absenteismo , da empresa como um todo e dividido por unidade / setor / turno;
    • Percentual de Tempo Perdido / PTP;
    • Índice de Gravidade / IG;
    • Índice de Freqüência / IF;

 

Esses índices permitirão estabelecer as causas prováveis de absenteísmo, doenças predominantes em cada unidade / setor , origens dos atestados (para ações do INSAT junto ao emissor), respeitando-se o sigilo médico.

FASE III - Resultados

Após 12 meses estabelece-se índices padrões da empresa, os quais passam a ser referencias com os futuros índices; estabelecimento de metas setoriais.

O INSAT desenvolve / adapta , implanta e acompanha o PIGA por um período nunca inferior a 12 meses , por saber que os resultados começam a aparecer após o primeiro ano de funcionamento do programa.

Periodicamente há uma apresentação formal à empresa (Diretoria / RH), análise e discussão dos dados e propostas de ações.

ASSESSORIA E CONSULTORIA

Com a experiência de 16 anos de mercado, o INSAT presta Assessoria e Consultoria aos seus clientes, dentro de todas as NR´s que englobam os serviços de Segurança e Medicina do Trabalho. Dentro dessa área são realizados Laudos Técnicos, Programas de Qualidade de Vida, Programas Técnicos para cumprimento da legislação.

 ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA
  • Semana INSAT de Saúde
  • Implantação da CIPA: Comissão Interna de Prevenção de Acidente
  • Investigação de Acidente de Trabalho
  • Elaboração de Mapa de Risco
  • Auditoria de todas as NR´s - Normas Regulamentadoras
  • CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho
  • Controle Documental Ocupacional Própria e de “Terceiros"
  • Comissão de Controle de Infecção Hospitalar
  • Auditoria Ambiental Compulsória
  • Auditoria de Sesmt
 LAUDOS  TÉCNICOS  (Ministério do Trabalho / Meio Ambiente)
DESENVOLVIMENTO  /  IMPLANTAÇÃO  DE  PROGRAMAS  PREVENTIVOS
  • PCA - Programa de Conservação Auditiva
  • PPR - Programa de Proteção Respiratória
  • PCV - Programa de Conservação Vocal
  • Programa  de  Ginástica  Laboral
  • Programa  de  Prevenção de LER / DORT
  • Programa  de  Controle  do  Tabagismo
  • Programa  de  Atenção  a  Álcool  e  Drogas
  • Programa  de  Saúde  da  Mulher  Trabalhadora
  • Programa  de  Qualidade  de  Vida  no  Trabalho
  • Plano  de  Emergência / Atendimento  a  Catástrofes
  • PIGA - Programa  INSAT de  Gerenciamento do  Absenteísmo
  • Implantação de Serviços de Saúde e Segurança na empresa
 PERÍCIA JUDICIAL

O INSAT presta o serviço de Assistente Técnico em Perícias Judiciais trabalhista e cíveis em todo Brasil, nas áreas de saúde e segurança do trabalho, através das seguintes atribuições:

  • Assessoria ao Jurídico da empresa sobre o processo, do ponto de vista técnico (viabilidades / possibilidades, etc)
  • Conhecimento do(s) local(is) a serem periciados na empresa, preferentemente visita geral prévia à empresa, se necessário
  • Elaboração dos quesitos técnicos / discussão dos mesmos com o Jurídico
  • Acompanhamento e participação nos atos periciais (perícia física do Reclamante e/ou perícia do local de trabalho)
  • Elaboração do contra-laudo ou parecer do Assistente Técnico, com respostas a todos os quesitos (do Juízo, do Reclamante e da Reclamada); discussão do mesmo com a empresa
  • Reunião, se necessário, com o Perito
  • Elaboração de quesitos complementares
  • Perícia complementar, se determinada
  • Atendimento ao Juízo, se convocado
  • Laudo final

 CONTESTACAO DO NEXO TÉCNICO - NTEP

 

  • Mecanismos de avaliação para comprovação ou contestação  do nexo técnico (NTEP) para “doenças ósteomusculares” – CID  M
  • Mecanismos de avaliação para comprovação ou contestação  do nexo técnico para “doenças mentais” – CID  F

Laudo de Insalubridade NR15

Define tecnicamente (qualitativa e / ou quantitativamente) local / funções passíveis de serem considerados INSALUBRES, portanto nocivas à saúde , elaborado e assinado por profissionais devidamente habilitados pelo Ministério do Trabalho (Engenheiro de Segurança e Médico do Trabalho)

O Laudo de Insalubridade é o documento técnico-legal que estabelece se os empregados da empresa têm ou não direito ao recebimento do adicional de insalubridade (10%, 20% ou 40% do salário-mínimo), em virtude da exposição a agentes físicos, químicos e/ou biológicos, considerando os limites de tolerâncias estabelecidos pelas legislações e as proteções fornecidas pela empresa.

Após a visita de um profissional habilitado do INSAT, sua empresa receberá um documento, contendo as conclusões em relação à exposição dos trabalhadores aos agentes nocivos (causadores de insalubridade), bem como alternativas técnicas para evitar o pagamento dos adicionais de insalubridade, quando for o caso.

 

ERGONOMIA

 

O Diretor Técnico do INSAT, como membro da Associação Internacional de Ergonomia e professor da International School of Ergonomics of Posture and Movementes , utiliza sua experiência internacional na aplicação de metodologias ergonômicas para avaliação de postos de trabalho. Assim, além de cumprir uma legislação específica do MTE chamada "NR-17 Ergonomia", a avaliação ergonômica proporciona um perfeito conhecimento das condições de trabalho e as recomendações de melhorias frente às inadequações eventualmente existentes. Um posto de trabalho ergonomicamente adequado aumenta a satisfação do trabalhador e consequentemente aumenta a produtividade, evita acidentes e doenças profissionais. De acordo com a NR-17 "cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho", dentro do estabelecido pela legislação.

Avaliação ergonômica dos postos de trabalho

Muito mais abrangente do que se possa imaginar, os cuidados com a montagem ou reformulação do posto de trabalho devem levar em consideração a questão do ambiente como um todo e, muito particularmente, adaptação da máquina ao homem.
Ergonomia é um ponto fundamental na avaliação das constantes mudanças internas de cada empresa. Gerenciar diferenças pessoais, a partir de cada atividade ou de cada ser humano é, no mínimo, muito aconselhável. A ergonomia leva em consideração o local de trabalho por inteiro, mas há de se questionar as particularidades de cada função, das pessoas e, principalmente, do tempo de permanência e movimentos que cada função exige

Objetivo: Implantação de um programa de avaliação ergonômica para atender as necessidades da NR-17 da portaria 3751 de 23/11/90, MR, visando também as características psicofisiológicas dos trabalhadores, com descrições das condições de trabalho e cronograma de ações compatíveis para a redução do risco (NR 17.1.2.)..

A metodologia de trabalho para execução do laudo é dividida na etapa de coleta que inclui: entrevistas, questionários, “check list”, observações “in loco”, fotos dos postos de trabalho, e análise que inclui os métodos de antropometria, OCRA, OWAS, RULA, REBA, Sue Rodgers, NIOSH, Moore & Garg, conforme necessidade quantitativa de cada posto ou função

Programa INSAT de Ginástica Laboral

Ginástica Laboral, como uma das conseqüências da avaliação ergonômica do trabalho, consta de exercícios físicos / lúdicos / educativos objetivando o bem estar e promoção da saúde do trabalhador. Compreende uma série de exercícios musculares, específicos e diferenciados entre atividades administrativas e operacionais, realizados sob orientação de profissionais especializados, durante poucos minutos (8 à 12) diários, nos próprios locais de trabalho.

 

Laudo de Periculosidade NR16

Define tecnicamente (qualitativa e quantitativamente) local / funções passíveis de serem considerados PERICULOSAS, portanto de risco grave de morte , elaborado e assinado por profissionais devidamente habilitados pelo Ministério do Trabalho e Emprego / DRT.

O laudo técnico de periculosidade diz respeito às atividades e operações com:
 

  • explosivos
  • eletricidade
  • inflamáveis líquidos
  • inflamáveis gasosos
  • radiação ionizante
  • substância radioativa

    De acordo com a NR-16, o Laudo de Periculosidade deverá conter as seguintes informações:

    • Identificação, quantificação e localização de inflamáveis e explosivos;
    • Determinação de áreas de risco;
    • Identificação das atividades realizadas nas áreas de risco;
    • Caracterização das condições de periculosidade com base nas normas técnicas e legais;
    • Recomendações para eliminar e limitar o perigo;
    • ART – Anotação de Responsabilidade Técnica exigida pelo CREA do Engenheiro Responsável.